testo


"Que nunca te falte amor... mas, se faltar, sabes onde me encontrar."

Bem Vindos

Bem Vindos ao Portal de Luz

domingo, 5 de fevereiro de 2017

A COLHEITA Por Jean Tinder

Resultado de imagem para colheita


A COLHEITA
Por Jean Tinder
Editora do Shaumbra Magazine,
Professora do Círculo Carmesim

Há algo que eu gostaria de compartilhar, algo que é composto de muitas facetas.

Talvez elas estejam prontas para serem tecidas em uma estória.


PARTE 1: PEDAÇOS

Mudança – Diz-se que a única constante na vida é a mudança, e isso parece duplamente verdadeiro para aqueles no “caminho” da realização…, embora tenha de haver uma palavra melhor. Este não é um “caminho”, é uma chegada constante. Um esclarecimento sem parar. Uma libertação perpétua. Não estamos “indo a algum lugar”, estamos lembrando.

Enfim, não parece assim que, bem na hora quando tudo estiver resolvido, a vida vai e muda? Alguém se afasta, morre ou vai embora para perseguir seu próprio arco-íris, o senhorio vende a casa, alguém bate no seu carro, as pessoas ficam assustadas e fazem algo estúpido e algo – ou tudo – é diferente.

E, tanto quanto dizemos que queremos mudar, pode ser difícil de lidar. Mas na verdade, o que aconteceria se nada mudasse? A vida terminaria, lentamente girando para o nada. Espere, já não (quase) fizemos isso?

Tobias não disse que viemos à Terra para descobrir uma maneira de fazer as coisas andarem? Aparentemente estamos aqui para criar mudanças. Então, eu acho que é bobagem ficar chateado sobre isso, mesmo que as mudanças mais difíceis são as mais próximas do nosso coração. Em outras palavras…

Relacionamentos – A vida é composta de relacionamentos, bons ou maus, apaixonados ou indiferentes, momentos longos ou décadas breves. Os relacionamentos são como aprendemos sobre nós mesmos, como nós sobrevivemos e porque nós voltamos. Eles nos trazem algumas das experiências mais intensas, difíceis e surpreendentes que jamais teremos.

Às vezes ficamos presos em padrões e desejamos que algo mude – então choramos quando o fazem. No núcleo, cada relacionamento é um vislumbre de Deus, um sussurro do relacionamento que estamos realmente procurando. Nós os comemoramos, os choramos, os rejeitamos e nos apegamos a eles. Na verdade, falamos sobre eles mais do que qualquer outra coisa porque…

Estórias – Estórias são a cola da criação. Eu já escrevi antes sobre estar ciente das estórias que você conta, tanto para você quanto para os outros, pois elas são o que você vai viver. A vida está sempre arruinando tudo? Dá uma grande estória, mas quanto mais você diz, mais vai acontecer. As coisas parecem sempre funcionar perfeitamente? Engraçado como essa estória não é geralmente tão popular, mas, no entanto, é uma que eu gosto muito de contar e viver! Mas, às vezes, o velho precisa se descolar para que o novo possa entrar.

Quando as mudanças acontecem e os relacionamentos evoluem, nós tendemos a contar histórias sobre “os bons (ou maus) velhos tempos”, não percebendo quão pegajosos eles são e, portanto, quão difícil nós estamos fazendo isso para nós mesmos.

Quando a Alma diz que é hora de mudar, a melhor coisa a fazer é deixar a cola se dissolver. Sim, é mais fácil dizer do que fazer, mas contar uma estória diferente pode realmente ajudar com o liberar, porque a vida acredita na estória que você conta! Então, quando algo inesperado (ou talvez indesejado) acontece, a estória para a qual eu sempre tento voltar é que cada experiência é, em última instância, sobre…

Iluminação – É toda a razão pela qual estamos aqui nesta vida. Às vezes eu (quase) desejo que não fosse assim, porque há tanta coisa para sentir. Eu olho para pessoas “normais” e me admiro de quão simples suas vidas parecem ser. Claro, é uma generalização, mas quando a realidade não vem em tons de cinza, mas em explosões de cor que nos cegam, às vezes eu desejo os “bons velhos tempos”, quando as coisas estavam mais perto do preto e do branco. Dualidade parece muito mais simples!

Mas ainda, não podemos voltar. A maioria dos humanos está vivendo apenas mais uma vida, perseguindo qualquer tarefa simples que sua alma queira, mas é diferente para os Shaumbra. Esta não é apenas outra vida e é tudo menos simples (no sentido antigo), porque estamos aqui para…

Integração – “Tudo o que for preciso”, dissemos, e então descobrimos que é preciso muito.

Para a maioria dos Shaumbra, esta simplesmente não é a vida para vivermos felizes para sempre, subir para o topo da escada, tornar-se rico e famoso ou qualquer outro milhão de coisas que as pessoas passam a vida toda fazendo.

Estamos aqui para a integração e a querida alma vai fazer o que for preciso para oferecer todas as oportunidades para trazer cada aspecto estagnado, uma e outra e outra vez, até que todos voltem para casa. E essa é uma estória que pode iluminar cada experiência.

Medo de ficar doente? Você pode ter um desafio físico após o outro, trazendo para casa todas aquelas coisas assustadoras: praga / varíola / fome / qualquer vítimas, até que você não se importa mais.

Não suporta ficar sozinha? As pessoas podem continuar indo embora até que todas as vidas abandonadas, perdidas e traídas encontrem a paz.

Tem problemas com autoridade? Você vai usar uma luz piscante que é visível para policiais e chefes e qualquer outra autoridade que estiver por perto até que todas as vidas de rebelião, raiva e busca da justiça finalmente desistem da luta.

Goste ou não, para nós, tudo se trata de integração. É o último princípio orientador da vida e nada pode ficar no caminho da verdadeira paixão de sua alma. No entanto, isso leva a um monte de…

Perturbação – Todos os padrões em sua vida, provavelmente e especialmente aqueles que você mais gosta, acabarão por ser interrompidos. Eles têm que ser. É uma maneira de mexer o pote, entrar lá para alcançar todos os bocados presos. Eu penso nele como o tempo da colheita.

Imagine que a Alma do Fazendeiro plantou um campo inteiro de vidas cheias de grãos. Eles brotaram e cresceram, tendo todos os tipos de experiências diferentes, cada um tirando o que precisava para amadurecer para a colheita. Então veio o tempo de cortar o grão e trazê-lo para a eira, onde é batido e remoído para separar as cascas duras e protetoras dos grãos preciosos. (Você sabe, no caminho para a ascensão…)

Então vem a separação do joio do trigo, onde tudo é jogado para cima para que a palha possa ser separada. É uma época de terremotos internos, colapso da realidade e caos absoluto, mas uma parte tão necessária da colheita da Alma do Fazendeiro.

Finalmente, tudo é recolhido para a moagem, onde os grãos individuais são transformados em sua essência pura, integrando juntos em totalidade – o bolo de ouro requintado que a Alma de Fazendeiro tem esperado muito tempo para desfrutar.

(É interessante notar aqui que, embora cada grão tenha crescido durante uma temporada inteira, não demorou mil estações para fazer este bolo. Na verdade, foi apenas uma respiração atrás que a Alma de Fazendeiro olhou para fora através do campo fértil atemporal e sabia de cor cada haste…)

PARTE 2: CONSOLIDAÇÃO

Eu escrevo tudo isso porque eu estou vivendo-o, como tantos Shaumbras. E até agora, cada vez que eu penso que isso poderia ser feito, algo vem junto para deixar-me saber que há mais. Mas eu bem sei que não é um processo sem fim. Cada vez que um novo desafio ou “destruição” aparece, eu sinto que ele está cavando mais fundo do que antes, encontrando tesouros que foram enterrados sob outras camadas, mais óbvias.

Uma mudança pessoal recente é que meu querido parceiro Shaumbra escolheu seguir seu próprio caminho por ora, seguindo o chamado inevitável de sua própria alma e quaisquer aventuras que ela tenha reservado para ele.

Claro, coisas como esta sempre acontecem por acordo das almas envolvidas e, portanto, em um relacionamento baseado em compaixão e consciência, os humanos fazem o seu melhor para seguir em frente.

Agora, este não é um tempo para a piedade ou a tristeza, mas certamente as últimas semanas incluíram o caos e a mudança, amor e estórias, ruptura de padrão e integração profunda. Mas como eu teria encontrado os aspectos que ainda estavam estagnados em seu abandono de vidas passadas? Ou dar-me a liberdade de me colocar em primeiro lugar, de verdade? Ou aprendido a dizer adeus com o maior amor?

O Mestre aprecia essas coisas, mas o humano, tão precioso, tão frágil e forte, tem que senti-las. Para o ser humano é absolutamente essencial para a integração. A maioria dos nossos aspectos são humanos e eles precisam de um ser humano para voltar para casa, um ser humano para senti-los quando eles trazem suas dores, medos e encargos.

A parte surpreendente é quando você permite que os sentimentos passem sem se agarrar às estórias, pois é aí que a magia acontece. Rolando em torno da palha pode não ser tão divertido, mas de repente você está voando no ar para a liberdade. Às vezes você pode até mesmo sentir como as conchas duras e velhas caem e os grãos preciosos são finalmente colhidos e levados para casa.

Tenha certeza de que a velha Alma de Fazendeiro faz um trabalho extremamente completo e quando ela o tiver feito, nem uma única casca permanecerá estagnada. Nenhum grão será perdido e cada grão precioso revelará sua essência dourada.

Estamos aqui simplesmente para lembrá-lo que:

a) tudo está bem;

b) o processo não demorará para sempre;

c) é mais fácil se você permitir e

d) no outro lado de cada lágrima está um outro sopro de liberdade.

É um ano novo, um tempo de novos começos. Libere as estórias velhas, mesmo as boas. Deixe os padrões velhos desmoronarem, mesmo os seus favoritos. Sente-se em seu banco e desfrute do tesouro dourado de cada momento que você já viveu.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Tradução: Léa Amaral – lea_mga2007@yahoo.com.br
http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/shaunews.htm

LUZ!

STELA

Nenhum comentário:

Postar um comentário