testo


"Que nunca te falte amor... mas, se faltar, sabes onde me encontrar."

Bem Vindos

Bem Vindos ao Portal de Luz

domingo, 19 de março de 2017

Porque temos ressentimento? Porque nos abandonamos. A mensagem descontraída e direta da australiana Isha

Resultado de imagem para ressentimentos


Porque temos ressentimento? Porque nos abandonamos. A mensagem descontraída e direta da australiana Isha

By Nando Pereira (Dharmalog.com)

“A culpa é uma ilusão. 

Porque na realidade você nunca fez nada errado, nunca. 

Neste momento tudo está perfeito. Se você fez algo que te trouxe sofrimento, que não te traz amor, neste momento, escolha algo novo. Se você segue vivendo esse sentimento, de culpa, de novo e de novo, e vive através desse reflexo (imagem), isso é violência. 

É violência contra você mesmo, e isso não serve pra nada. Isso não muda o ocorrido, somente está arrastando o passado para o futuro. E está vivendo o futuro em uma vibração mais baixa, porque está tingido de medo. 


Então o que escolho? 

Bem, fiz todas essas escolhas e tiveram consequências. Não gostei das consequências. Agora, de um lugar de inocência, vou fazer uma nova escolha. Isso é tudo. E solto, deixo seguir. E se alguém me critica e isso me afeta, é porque ainda não soltei, não deixei ir. Isso é sempre interessante nos casais. Sempre gostam de trazer e arrastar aquilo que fizeram há 4 anos. Todos fazem isso, mas seguem juntos. Mas gostam de ter isso, essas munições aí. 

“Mas lembre-se quando você fez blá, blá, blá…” 

E então isso justifica o que você está fazendo neste momento. Porque se sente culpado, mas esta é a sua justificativa (usar a munição). Somos loucos assim. Em vez de focar no amor, de focar no que queremos, de focar no louvor e na gratidão, Focamos no ressentimento. Porque temos ressentimento? Porque nos abandonamos.”

~ Isha

No vídeo abaixo o discurso de Isha prossegue de onde o trecho acima termina, explorando o ressentimento e a culpa, que é o tema desse darshan da mestra australiana que traz uma mensagem descontraída, leve e direta, cheia de exemplos contemporâneos (como o do casal transcrito no trecho acima) e que já tem grupos de estudantes e admiradores no Brasil (1 & 2), além de Uruguai, Argentina e México. Nascida em 1962 em Melbourne (Austrália), sob o nome Jennifer Lee Duprei e criada por pais adotivos e hoje morando no Uruguai, Isha Judd é uma nova referência espiritual que traz um método de autocura e expansão da consciência sob seu ponto de vista particular, é autora de livros como “Love Has Wings” (2012), criou e mantém a Fundação Isha Educando para a Paz e é “Embaixadora para a Paz” na Argentina por seu trabalho com prisioneiros em Buenos Aires, e também recebeu o “Honorary Degree” da Universidad Internacional de Cuernavaca, no México, por seu “serviço humanitário e por contribuir para a melhoria da condição humana” (Wikipedia).

Particularmente não conhecia o trabalho de Isha Judd e a vi pela primeira vez através de um post compartilhado no Facebook por um amigo, há duas semanas. 

O tom conversacional e contemporâneo chama a atenção, e a mensagem parece estar falando a muitas pessoas, inclusive aqui no Brasil. Podemos nos perguntar se precisamos de mais uma pessoa, de mais um método, de mais respostas para o despertar, mas sempre há espaço e importância na diversidade, e o tipo de instrução verdadeira. E, além disso, a presença de um instrutor vivo pode ser de grande importância para muitos de nós.

“Não há nada mais pleno que o amor incondicional a nós mesmos, e quando o experimentamos podemos extendê-lo a cada aspecto de nossa criação. Quando amamos a nós mesmos incondicionalmente, todo o medo desaparece, e se experimenta a unidade em tudo. Não é uma experiência sutil, mas sim total. É o mais grandioso que se pode suceder a um ser humano.”

~ Isha

Segue a íntegra do vídeo (6min57seg) como foi publicada no YouTube pelo canal IshaBrasil, com legendas em português já incorporadas.

Para saber mais sobre Isha, visite ishajudd.com.


Nenhum comentário:

Postar um comentário